Assessoramento Tecnológico

Home/O que fazemos/Assessoramento Tecnológico
Assessoramento Tecnológico 2017-07-18T11:52:16+00:00

Processo de Compras Sustentáveis

O que é

Consiste na adequação do processo de aquisição de bens e serviços de uma organização para que sejam considerados, na definição do objeto de compra, requisitos de sustentabilidade aplicáveis ao objeto, contemplando (i) as peculiaridades da organização e sua cadeia de fornecimento e (ii) todo o ciclo de vida do objeto, desde sua fabricação até seu descarte, incluindo seu modo de uso.

Como funciona

Inicialmente, realiza-se um Diagnóstico do Processo de Compras da organização, a fim de que se mapeie o processo e se identifiquem as interações com as demais estruturas da organização e com a cadeia de fornecimento. O Diagnóstico é conduzido por uma equipe técnica e demanda pelo menos 40h de dedicação para sua conclusão, que resulta em um mapa do processo de compras.

Nota: O Diagnóstico do Processo de Compras pode ser realizado sem compromisso com a Implantação do Processo de Compras Sustentáveis.

A segunda etapa consiste na Implantação do Processo de Compras Sustentáveis, que insere, no processo mapeado, elementos que permitam considerar os aspectos de sustentabilidade de cada objeto (bem ou serviço) adquirido pela organização, levando em conta as peculiaridades do negócio da organização, suas políticas institucionais e sua cadeia de fornecimento. Para tanto, preveem-se as seguintes atividades:

  • Definição de uma “Política de Compras”;
  • Definição de uma “Matriz de implantação”, com as prioridades e marcos necessários;
  • Definição dos requisitos de sustentabilidade aplicáveis aos objetos de compra;
  • Avaliação do risco à sustentabilidade de cada um dos objetos de compra;
  • Definição de um modelo de “Requisição de compra”, considerando os requisitos de sustentabilidade.

Benefícios

Com um Processo de Compras Sustentáveis, a organização pode:

  • estabelecer e controlar seu processo de compras;
  • minimizar seus riscos e passivos ambientais, sociais e econômicos;
  • otimizar seu processo de aquisição de objetos (bens e serviços);
  • mobilizar e engajar sua cadeia de fornecimento;
  • capacitar seus gestores de compras;
  • demonstrar ao mercado e à sociedade seus resultados.

Inventário de gases de efeito estufa (GEE)

O que é

Consiste na identificação das fontes de GEE de uma organização, pública ou privada, e a consequente mensuração das emissões segundo metodologias estabelecidas por organismos reconhecidos, tais como o “Protocol GHG”.

Como funciona

A partir da interação com a organização, em um modelo de avaliação in loco, identificam-se as diversas fontes de GEE em um determinado período de interesse (geralmente anual), associando, a cada uma das fontes, um regime de uso e operação, a partir das quais se mensura uma emissão de GEE expressa “CO2 equivalente”, ou seja, a emissão de todos os GEE identificados equivalente a uma determinada quantidade de CO2.

Em média, para uma organização de médio porte, estimam-se 3 meses de atividades para concretizar o Inventário.

Benefícios

Com um Inventário de GEE, a organização pode:

  • reconhecer e controlar suas emissões de GEE;
  • minimizar suas emissões de GEE;
  • monitorar seu consumo de fontes energéticas;
  • demonstrar ao mercado e à sociedade seus resultados.

Plano Diretor para Municípios

O que é

De acordo com a Constituição Federal e o Estatuto da Cidade, o Plano Diretor Municipal é o “instrumento básico da política de desenvolvimento e de expansão urbana”. Em outras palavras, é um instrumento para dirigir o desenvolvimento do Município nos seus aspectos econômico, físico e social. Além disso, permite que o Município acesse fontes de financiamento Federais ou Estaduais.

Tem por objetivo orientar as ações do poder público visando compatibilizar os interesses coletivos e garantir de forma mais justa os benefícios da urbanização, garantir os princípios da reforma urbana, direito à cidade e à cidadania, gestão democrática da cidade.

O Plano Diretor se consiste em uma lei municipal elaborada pela prefeitura com a participação da Câmara Municipal e da sociedade civil que visa estabelecer e organizar o crescimento, o funcionamento, o planejamento territorial da cidade e orientar as prioridades de investimentos.

Como funciona

A partir da interação com a sociedade e com a estrutura da Prefeitura, incluindo a mobilização da Câmara de Vereadores, estabelece-se um modelo de atuação conjunta para gerar o documento que retrate o planejamento adequado para orientar o desenvolvimento e a expansão do Município.

Envolve as seguintes etapas:

  • Diagnóstico da situação atual do ordenamento territorial;
  • Oficinas de discussão sobre os principais problemas – abrangendo a comunidade;
  • Elaboração do anteprojeto de lei para o Plano Diretor;
  • Realização de audiências públicas;
  • Incorporação das recomendações e sugestões;
  • Encaminhamento à Câmara de Vereadores;
  • Realização de ao menos uma audiência pública na Câmara;
  • Reenvio para o poder executivo;
  • Sanção da nova Lei pela Prefeitura.

Benefícios

Com um Plano Diretor, o Município pode:

  • acesso aos instrumentos previstos no Estatuto da Cidade, como parcerias públicas privadas;
  • acesso a financiamento junto a órgãos como o BNDES a CAIXA e outros que exigem a vigência do Plano Diretor como condição;
  • estabelecimento de políticas para a melhoria da qualidade de vida e preservação do ambiente natural e construído;
  • definição dos parâmetros para abordagem regional, com outros municípios, das diversas políticas públicas, dentre as quais os recursos hídricos, saneamento ambiental, mobilidade, turismo etc;
  • demonstrar ao mercado e à sociedade seus resultados.

Implantação de sistemas de gestão (SG)

O que é

É a sistematização das rotinas operacionais que têm relação com (i) a qualidade dos produtos oferecidos por uma organização ou (ii) os impactos ambientais dos processos dessa organização.

Consiste no mapeamento dos processos da organização e no estabelecimento de regras e procedimentos para possibilitar seu monitoramento e controle, segundo as normas ABNT NBR ISO 9001 e ABNT NBR ISO 14001.

Como funciona

A partir da interação com a estrutura da organização, entrevistando os responsáveis e avaliando as instalações, identificam-se os processos e suas interações entre si e com o ambiente, permitindo estabelecer medidas de medição, controle e mitigação, visando à melhoria contínua desses processos.

Envolve as seguintes etapas:

  • Diagnóstico do modelo de gestão da organização;
  • Definição de uma Política de Gestão, considerando-se a qualidade e os aspectos ambientais;
  • Mapeamento dos processos e seus responsáveis;
  • Definição de metas e objetivos para cada processo;
  • Estabelecimento de mecanismos de medição e controle.

Benefícios

Com um Sistema de Gestão, a organização pode:

  • reconhecer e controlar a qualidade de seus produtos;
  • reconhecer e controlar seus aspectos ambientais;
  • engajar sua cadeia de fornecedores;
  • demonstrar ao mercado e à sociedade seus resultados